Notícias
o mais importante sobre o mercado imobiliário
Notícias
voltar \ Piscinas low-cost made in Portugal: este inovador modelo promete ser uma alternativa às tradicionais

Piscinas low-cost made in Portugal: este inovador modelo promete ser uma alternativa às tradicionais

13 jul 2020
Piscinas low-cost made in Portugal: este inovador modelo promete ser uma alternativa às tradicionais
A "MC-Pool: Modular Concrete Pool" foi criada pelo Instituto Superior de Engenharia de Coimbra (ISEC) e pela empresa Vigobloco, de Ourém.

Piscinas mais económicas, rápidas de executar, duráveis, mais eficientes do ponto de vista térmico e com menor impacte ambiental. Este foi o ponto de partida para a criação da "MC-Pool: Modular Concrete Pool", uma piscina inovadora modular e pré-fabricada em betão, criada pelo Instituto Superior de Engenharia de Coimbra (ISEC) e pela empresa Vigobloco, de Ourém. O idealista/news entrevistou os responsáveis do projeto para perceber melhor quais as vantagens deste tipo de soluções, face aos modelos tradicionais, e quais as suas mais-valias, numa altura em que as piscinas se assumem, cada vez mais, como “uma extensão das habitações, favorável ao lazer e convívio familiar.”

Ricardo do Carmo, investigador e docente do ISEC envolvido no projeto, explicou ao idealista/news, por email, que este projeto tem a duração de 36 meses e ainda está a decorrer. “Estamos sensivelmente a meio da sua execução. Iniciou-se a 1 de outubro de 2018 e prevê-se que finalize a 30 de setembro de 2021. Já realizámos as tarefas relacionadas com tipologia e design das MC-Pools e desenvolvimento dos materiais cimentícios avançados. Estamos a finalizar uma série de ensaios associados à caracterização estrutural das MC-Pools e após esta fase iremos construir e monitorizar um protótipo”, aclarou.

Tecnologia na base do projeto

O ISEC, que desenvolveu a tecnologia aplicada pela empresa de Ourém, destaca as características eco e termo-eficientes da solução que recorre a módulos pré-fabricados com materiais híbridos, mas também o facto de esta permitir a produção de piscinas "a baixo custo" e de instalação rápida com recurso a pouca mão-de-obra.

Segundo o investigador, o projeto “MC-Pool – Modular Concrete Pool” pretende desenvolver um conceito inovador de piscinas modulares, pré-fabricadas em betão, “baseado no sistema 'pré-parede', que possibilite a construção de piscinas por assemblagem e simultaneamente facilite o transporte dos módulos pré-fabricados, tornado assim o produto competitivo em termos comerciais”. Além destes fatores diferenciadores relativamente aos produtos atuais, refere Ricardo do Carmo, pretende-se ainda incorporar o conceito de 'Super-Skin' (desenvolvido pela equipa no âmbito de um projeto de investigação financiado pela Fundação de Ciência e Tecnologia -FCT) “para aumentar a durabilidade e usar um betão eco-eficiente com agregados leves para melhorar o comportamento térmico e diminuir o impacto ambiental.

Filipe Saraiva, responsável da Vigobloco, destaca, por sua vez, como principais vantagens deste tipo de piscinas “a rapidez de construção das mesmas, e a possibilidade de incorporar uma componente de isolamento térmico que irá contribuir para a manutenção da temperatura da água mais eficaz”. Por outro lado, refere ainda, “toda a produção é acompanhada por um rigoroso sistema de controlo de qualidade e os materiais utilizados são objeto de critérios rigorosos de seleção, resultando num produto final com um nível de acabamento muito elevado”.

Há cada vez mais interessados neste tipo de sistemas

O responsável da Vigobloco, também por email, indica ainda que o sistema em pré-fabricado de betão apresenta um resultado final semelhante às piscinas tradicionais do mesmo material. Os cuidados de manutenção, de resto, também serão os mesmos, uma vez que “a estrutura será posteriormente revestida com os materiais tradicionalmente utilizados”.

“A Vigobloco já executou várias piscinas pré-fabricadas em betão. No entanto, o sistema MC-Pool ainda não foi comercializado. Foram produzidos vários elementos para ensaios e testes laboratoriais que serviram de suporte ao desenvolvimento do estudo por parte das instituições académicas. Neste momento a Vigobloco está a projetar um protótipo para produzir e montar nas suas instalações, que irá permitir demostrar ao público o resultado final da solução”, esclarece o responsável. Por este mesmo motivo, não existem ainda disponíveis imagens reais das piscinas que estão a ser desenvolvidas (as fotos utilizadas neste artigo pelo idealista/news são meramente ilustrativas, e são de outras piscinas).

Photo by Briana Tozour on Unsplash
Photo by Briana Tozour on Unsplash

Neste momento têm “muitos contactos e interessados no sistema, designadamente particulares”, revela. E, dada a fase de desenvolvimento em que se encontra todo o projeto, bem como ao interesse já demonstrado pelo público nesta solução, a Vigobloco conta “que a partir do próximo ano se venha a verificar uma aceitação considerável deste tipo de solução face a outras soluções”.

Ricardo do Carmo lembra que “as piscinas são mais do que um espaço dedicado à natação, mergulho ou outra prática desportiva”, representando “uma extensão das habitações, favorável ao lazer e convívio familiar”. Além da sua função primordial, diz, “acresce o facto das piscinas representarem normalmente um investimento que valoriza o imóvel”, até porque em Portugal e na generalidade dos países da Europa central e do sul, “o clima é ameno com inúmeras horas de sol por ano, havendo por isso um mercado bastante significativo para a construção de piscinas, não só privadas mas também públicas”.

Segundo o investigador, existem atualmente no mercado várias soluções para a estrutura das piscinas: integralmente em betão armado; blocos de betão reforçados com pilares e vigas; blocos de poliestireno expandido reforçados com armaduras e preenchidos com betão; monobloco em fibra de vidro, painéis em madeira; painéis em liga metálica resistente à corrosão; entre outras, e que “a escolha da solução é sempre condicionada pelo orçamento, rapidez de execução, e durabilidade expectável”, não sendo possível, “com os produtos atualmente disponíveis no mercado, otimizar simultaneamente todos estes parâmetros”.

 O objetivo deste projeto, frisa, “é combinar o significativo desenvolvimento tecnológico que ocorreu nas últimas décadas na indústria pré-fabricadora nacional com os avanços científicos mais recentes na área dos materiais cimentícios avançados, dando origem a um novo conceito (produto e processo), aqui designado de 'MC-Pool: Modular Concrete Pool'”, isto é, piscinas de menor custo, montagem mais rápida, melhor comportamento térmico, mais durável mais eficientes do ponto de vista do ambiente.

Veja Também