Notícias
o mais importante sobre o mercado imobiliário
Notícias
voltar \ "O local ideal é no campo. Longe da cidade, mas perto"

"O local ideal é no campo. Longe da cidade, mas perto"

12 nov 2020
"O local ideal é no campo. Longe da cidade, mas perto"
Catarina e António Raminhos protagonizam a segunda história que vos vou contar, aqui no idealista/news, sobre mudanças de casa. Mudanças de vida.

“O local ideal é no campo. Longe da cidade, mas perto". É nisto que acreditam António e Catarina Raminhos, um casal conhecido e adorado pelo grande público. Para quem os segue nas redes sociais, sabe que são uma família divertida e unida, da qual também fazem parte as três filhas: Maria Rita, Maria Inês e Maria Leonor, e dois cães.

casa nova serviu para os juntar ainda mais em torno deste projeto (ou aventura) de vida que foi criar uma casa que servisse a todos a partir do zero.

Eu* e a (minha homónima) Catarina partilhámos os desafios (uns mais simples, outros bastante complicados) de construir uma casa e juntar a isso a vontade de que fosse o mais sustentável possível.

Como costumamos brincar: já está! Casas prontas! Se é para sempre? Logo se vê. Mas com uma certeza: se acontecer será do campo para o campo.

Catarina Raminhos
Catarina Raminhos

Catarina Raminhos tem 40 anos e é licenciada em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social de Lisboa. Desde muito cedo que se entregou ao amor pela escrita. Trabalhou em diversos jornais, onde percebeu que o dia-a-dia era demasiado efémero. Chegou a ser editora de conteúdos televisivos, trabalhou na organização de eventos onde a preparação de dias felizes para outras pessoas lhe enchia o coração. Depois, rendeu-se à magia dos livros e é a isso a que se tem dedicado, de forma tão mais feliz, porque além do mais pode ser feito desde a sua casa de campo.

O marido, António Raminhos, nasceu em 1980. Sempre foi uma criança sossegada, mas desde cedo mostrou o seu talento para a comédia. Foi aos 18 anos que entrou na faculdade para estudar Jornalismo e o seu percurso profissional, na área, começou pelo jornal A Capital, onde foi redactor durante 2 anos. Mais tarde desempenhou a mesma função num programa da RTP1. Depressa se apercebeu que não se via a fazer isso para o resto da vida e a comédia ganhou o devido lugar.

O casal conheceu-se na faculdade, quando ambos viviam em Lisboa. Eram alfacinhas sem vontade de ficar. Foi o nascimento da primeira filha que serviu de empurrão à primeira mudança, que aconteceu em 2010. A paisagem da capital foi substituída pelo campo de uma aldeia em Mafra. E, em maio deste ano, voltou a acontecer, agora, do campo para o campo, numa casa construída à medida da família, sem largar a zona. A vontade passava por viver numa aldeia perto do mar, mas não muito longe da cidade, e, quando a encontraram, tiveram a certeza de que seria o local ideal para construir a sua base. Campos que mudam de cor com o passar das estações, o silêncio que permite apreciar a vista de dentro e de fora. O local ideal. Longe, mas perto.

Como o trabalho é feito a partir de casa, a saudade de estar na cidade é quase escassa. Quando aperta, ou surgem trabalhos, em 35 minutos, a família está em Lisboa.

O processo de mudança demorou cerca de um mês e o abandonar da casa antiga foi fácil, já que era uma casa arrendada, ainda que com muitas caixas para arrumar.

António e Catarinha Raminhos
António e Catarinha Raminhos

A família vive feliz, cheia de luz, campo, flores, grilos e crianças a correr de um lado para o outro. A mudança é definitiva e, caso a vida volte a dar outro empurrão, com certeza que será do campo para o campo, num lugar longe, mas perto.

Fonte: Idealista News

Veja Também